[SUB 16M] GDEMAM 53 x 40 Odivelas

Jogo realizado no pavilhão da escola Maria Alberta Menéres, respeitante à 26ª e última jornada da Série C2, da 2ª fase do XXXIV Campeonato Distrital de Sub 16 Masculinos.
Quis a sorte e o desempenho das equipas da série C que a época dos cadetes masculinos terminasse com a recepção ao Odivelas Basket Clube, a equipa que liderou a série desde a primeira jornada. Odivelas e GDEMAM chegaram à última jornada com o mesmo número de vitórias, pelo que quem vencesse neste dia venceria também a série, e classificar-se-ia em 17º lugar no Campeonato Distrital de Lisboa, a melhor posição a que esta série dava acesso.

CLASSIFICAÇÃO (Por actualizar)

Para a nossa equipa era um dia de festa, fosse qual fosse o desfecho do jogo, mas naturalmente todos queriam proporcionar ao público presente no nosso pavilhão um bom espectáculo, e mostrar no campo a nossa determinação e empenho, frente a um adversário que certamente também se deslocaria ao nosso pavilhão com a ambição de vencer e terminar esta série em 1º lugar.

[slideshow]

O pavilhão estava mais cheio do que é habitual nos jogos dos cadetes, com muitos familiares, amigos e principalmente muitos e muitas atletas de outras equipas do clube, num ambiente de festa e incentivo aos nossos jogadores. É algo que muito nos satisfaz, e certamente teve um grande significado para estes rapazes, que são a primeira geração de basquetebolistas masculinos do clube, e não tiveram ainda no seu percurso muitos momentos deste tipo.

O jogo nem sempre foi muito bonito em termos técnicos, com uma pontuação mais baixa que o habitual, mas até ao final da primeira parte foi sempre equilibrado, com os parciais de 10-8 no primeiro período e 15-14 no segundo período, ambos a nosso favor. No 3º período o destino do jogo ficou praticamente traçado, com parcial de 9-0 a nosso favor (por sinal a única vez que durante esta época conseguimos impedir um adversário de marcar qualquer ponto num período). Depois disso as equipas soltaram-se um pouco mais, e o 4º período foi o período que teve mais bolas a entrar nos cestos, com um parcial de 19-18 a nosso favor.

Em termos estatísticos, foi um jogo de baixa eficácia ofensiva, com percentagens fracas de lançamento das duas equipas, que explicam os baixos números finais.
Os 53 pontos marcados ficam abaixo da média da nossa equipa nesta fase, que rondava os 62 pontos marcados por jogo, sendo que os 40 pontos sofridos estão também abaixo da média, que rondava os 48 pontos sofridos por jogo.

Fico particularmente satisfeito por ter sido um jogo onde o que mais se destacou foram os jogadores intervenientes, com o público a vibrar com as emoções e momentos do jogo, mas sempre de forma correcta, bem diferente de outros espectáculos desportivos a que por vezes assistimos. Destaco também o desportivismo do adversário, que depois de terminado o jogo, não poupou aplausos à equipa vencedora, num clima de respeito mútuo entre duas equipas que tentavam atingir o mesmo objectivo de uma competição desportiva.

Foram utilizados 12 jogadores neste jogo, e só o Nuno, que está afastado há varios meses da competição devido a uma lesão, não esteve dentro do campo. O Ivan foi o melhor marcador da equipa (e do jogo), com 14 pontos, seguido do Diogo com 12 e do Ricardo com 8. O Ricardo foi o melhor ressaltador, com 12 ressaltos, seguido do Martim com 10 e do Diogo com 8. As recuperações de bola foram um factor importante no desenrolar do jogo, já que a nossa equipa recuperou mais 21 bolas que o adversário, o que em muitos casos permitiu situações de contra-ataque mais simples de finalizar. Destacaram-se nas recuperações de bola o Francisco, com 8, e o Diogo com 7.

O Ricardo foi o MVP estatístico da equipa neste jogo, fruto de maior acerto no lançamento que a maioria, do número elevado de ressaltos conquistados, e do facto de ter conseguido individualmente mais recuperações de bola do que perdas.

Para mim, pessoalmente, foi um prazer ter podido dar o meu contributo a esta equipa durante esta epoca que agora chegou ao fim, ajudar estes rapazes, e ajudar um senhor chamado António Pinheiro. O Toni, que há uns meses atrás, quando mal o conhecia, me abordou num convívio de minibasquete onde eu estava com os meus filhos (que são jogadores do GDEMAM desde o início da época) e me pediu ajuda no clube, porque estava sozinho com duas equipas masculinas. O Toni, que está, já há várias épocas, com a maioria destes rapazes, e que continua a estar, sempre que pode, nos treinos e nos jogos deles, mas não pôde assistir à 2ª parte deste jogo, e à alegria deles no final, porque teve que ir com os seus outros rapazes – os iniciados – para outro jogo. Estou certo que ele estará nesta altura orgulhoso de ser um dos maiores responsáveis pela existência desta equipa, com a ajuda de muitos que de uma forma ou outra dão ou deram também o seu contributo.

Mário Gonzalez
Treinador da equipa de SUB16 Masculinos do GDEMAM