À conversa com… Inês Martins

Na época passada foi iniciada uma rubrica de entrevistas aos nossos atletas intitulada “À conversa com…”. Hoje apresentamos a primeira entrevista da época 2015/2016, com a atleta das sub19F, Inês Martins! Inês, obrigada por esta entrevista!

inesmartins
Nome: Inês Martins
Escalão: Sub 19 F
Data de nascimento: 23- 06- 1997

 

1 – Há quanto tempo praticas basquetebol?

Pratico há 7 anos.

 

2 – Quais são os teus ídolos no Basquetebol?

O Derrick Rose, especialmente, porque mesmo depois das lesões todas que teve, quando volta continua a dar o máximo, cada vez com mais dedicação.

 

3 – Tens algum momento marcante enquanto jogador que nos queiras revelar?

Tenho vários momentos marcantes, mas sem dúvida que o mais marcante foi na Final 4 de sub 14F, conseguimos ir a final, foi um jogo bastante renhido até ao fim onde acabamos por perder por um ponto. Custou como é óbvio, custa sempre perder, ainda mais uma final por 1. Mas o que realmente me marcou nessa Final 4 foi o apoio que clube nos deu, estiveram desde o início até ao fim a puxar por nós e mesmo quando o jogo acabou não o deixaram de fazer, isto mostra que para além de sermos um clube, somos uma família.

 

4 – Que mensagem gostavas de transmitir à tua equipa?

A mensagem que gostava de transmitir à minha equipa é que podemos não ser a melhor equipa, a equipa que está destinada a ganhar campeonatos, mas somos uma equipa com força e com garra, vamos ganhar jogos e perder jogos assim como campeonatos, mas não é por isso que vamos desistir ou pensar que não vamos ganhar um dia. As palavras que têm de estar dentro de todas nós é que sem trabalho, dedicação e respeito não iremos mais longe do que já fomos, e nós queremos ir mais longe.

 

5 – Para se evoluir e jogar basquetebol a um bom nível, enquanto jogador e na tua opinião, diz-nos três fatores que julgues relevantes e necessários para um crescimento sustentado?

(1) Esforço – temos que fazer um esforço em tudo na vida, se queremos jogar temos que fazer esforços, temos que ter força suficiente para conseguir conciliar tudo, a escola ou o trabalho com o basquetebol.

(2) Trabalho – sem trabalho não vamos a lado nenhum, não basta ter talento, o talento não é tudo, é preciso trabalho pessoal, muito treino para evoluir, e é preciso trabalho de equipa para crescer. Como o Michael Jordan disse “Talent wins games, but teamwork and intelligence wins championships.” (O talento ganha jogos, mas o trabalho de equipa e inteligência ganha campeonatos).

(3) Dedicação – é preciso ter dedicação em tudo aquilo que se faz, sempre. Se gostamos daquilo que fazemos, temos que nos dedicar ao máximo, dar o litro treino após treino, jogo após jogo, se damos 101% num treino temos de dar 102% no outro.

Como a minha tia me disse algumas vezes “se é isso que tu queres dedica-te, luta, esforça-te e mostra que és capaz” 

 

6 – Qual é a tua opinião relativamente à conciliação entre as vertentes treino/jogo e o rendimento escolar? 

A minha opinião é simples, há tempo para tudo, há tempo para estudar e há tempo para treinar e jogar, mas temos de ser organizados e dar o máximo nos dois.